sexta-feira, 2 de setembro de 2016

# livros # Pitacos

[Resenha] O Xangô de Baker Street

Sabe aquele livro que fez muito sucesso e você não leu seja por birra ou por falta de interesse e depois de anos ele "cai" no seu colo e você dá uma chance? Não? Okay.

Mas é assim que começa minha história com O Xangô de Baker Street.

Vale comentar que isto não é bem uma resenha, mas um relato sobre a leitura que fiz do livro
O Xangô é um livro do Jô Soares lançado em 1995 (Dels! Tem 21 anos!) e que virou filme em 2001 (e eu assisti). Bem falado na época e eu lembro claramente das risadas que minha amiga dava durante a leitura desse livro. Confesso que fiquei curiosa sobre ele, mas talvez por birra (não sei definir) não o li. Até que voltando de uma consulta médica há pouco menos de um ano esbarrei com o mesmo por pouco mais que R$ 10,00 numa feira da ABL.
Porque comprar? Porque não comprar... Comprei-o-o.
E ele foi para a estante, mas não por muito tempo porque no inicio desse ano, enquanto estipulava minha meta de leitura no Skoob, coloquei ele na lista e em Maio comecei sua leitura.

Resumo


A história se passa no final do século XIX com o roubo de um violino raro e o assassinato de uma mulher que teve as orelhas cortadas.
Por conta do roubo do Stradivarius da Baronesa de Avaré, a divina atriz Sarah Bernhardt, que está em turnê no Rio de Janeiro, sugere ao imperador Dom Pedro II que chame o famoso detetive, e seu amigo, Sherlock Holmes para descobrir quem roubou o dito violino. E, aproveitando a ilustre presença, o delegado Mello Pimenta solicita ao detetive que o ajude a desvendar as mortes horríveis (porque já não era apenas uma, mas duas ou três mortes com a mesma "assinatura").

Sob efeito do clima quente, das comidas exóticas e outros artifícios além de ter facilmente acostumado com os costumes brasileiros, Sherlock inicia uma aventura cheia de descobertas e ... muita comédia pelo Rio Antigo. #clichê #SessãoDaTarde

Opinião (com possíveis spoilers)


Okay, o livro é comédia e talvez só quem nasceu no final dos anos 90 ou quem não teve contato com a obra, não sabe o que acontece aqui. Eu já sabia o que acontecia em diversas partes, inclusive no final porque vi o filme e lembro de ter rido muito com algumas dessas situações. A decepção foi não rir com o livro.

Veja bem (lá vem mais história) assisti o filme em 2001; digamos que em 2010 eu já tinha uma quedinha por livros na temática policial, mas em 2015 eu entrei numa vibe forte com Sherlock Holmes. Comecei lendo o livro "As aventuras de Sherlock Holmes", depois descobri a Netflix e os seriados "Sherlock" (maravilhoso), seguido de "Elementary" que não é melhor que Sherlock, mas dá pro gasto. Daí peguei o Xangô e me deparei com um Watson muito cheio de frescuras... E aquele Sherlock quase lusitano. rs.

A leitura é fácil. O que aconteceu foi: Não curti o livro e por isso demorei a ler e inclusive me aproveitei de uma maratona para desencalhar a leitura. Comentei sobre ela aqui no blog.

Eu é que não conseguia ver a comédia nas cenas, minto... eu ri um bocado com a primeira perseguição do Sherlock atrás do assassino. No mais, me irritava a falta de habilidade dedutiva tão característica do Sherlock. Isso já era esperado? Sim, mas não li o livro com a mente livre dos esteriótipos e esse foi o principal erro. Alguma coisa em mim esperava a dupla Sherlock e Watson que eu estava acostumada e por não encontrar, afetou a leitura.

Quem sabe daqui uns anos minha releitura seja mais feliz, caso eu venha a reler o livro, ne?

Se você já leu esse livro, quer compartilhar sua opinião sobre ele, deixa aqui nos comentários que quero saber. Existe a possibilidade enorme de sua opinião ser bem diferente que a minha XD

Bjins,
K.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

@soratemplates