sexta-feira, 11 de setembro de 2015

# livros # TAG

[Tag] Livros Opostos


Faz tempo que vi essa tag em diversos vlogs pelo YouTube, mas foi assistindo o vlog Eu Não Sou Amélia que me fez querer fazer também. Mas é aquele lance que já comentei: tags escritas são uma coisa mas vamos tentar!





1. O primeiro livro da coleção e o último livro comprado.

A Marca de uma Lágrima foi o meu primeiro livro (o primeiro depois que gostei de praticar a leitura) mas ele não foi comprado, foi um presente.
O último livro que comprei foi um combo! Se não me engano foram os livros da Black Friday: O Códex dos Caçadores de Sombras, Cidade das Cinzas, Divergente e A Seleção.


2. Um livro que você pagou caro e um livro que pagou barato
Atualmente encontrar um livro muito barato, só em Bienal (e as vezes nem aí), uma feira ou em sebo, concorda? Hoje já estou convencida de que a faixa de R$ 40,00 para um livro na loja é normal\aceitável. Mas que seja um livro … “tijolo”.

Com essa explicação ae, o livro que paguei caro foi a Divina Comédia de Dante. Que custou por volta dos R$ 100,00. “Ah mas a Divina comédia é um clássico! é ‘3 em 1’! Mimimi...” psiu! Teve 3 dígitos? Foi caro. Comprei ele faz uns...10 anos, acho. Eu estava no colegial.





Um livro que paguei barato: O Chamado do cuco. Paguei R$ 25,00 numa feira de livros. “Mas Kika, esse valor não é tãããão barato assim” Psiu! Capa dura, embalado à vácuo. Você acha que vou pagar R$ 25,00 num livro de capa dura, novinho (“Zero bala”), no Rio de Janeiro QUANDO?!


3. Um com protagonista homem e um com protagonista mulher
Ó senhoooorrrrr. Parece que a maioria dos livros que li/tenho tem protagonistas homens! Chega a ser difícil escolher!
Cadê as mulééééééé?!

Para a ala masculina: O Senhor dos Ladrões. Scipio é um garoto que entende o sentimento de não ter os pais e resolve ajudar meninos órfãos a ter uma família entre eles mesmo. É uma história muito fofa (que já me rendeu plot pra fic) e capaz de entrar pra lista de releitura (estou fazendo esse tipo de lista XD).




Para representar as mulheres dos livros, uma caçadora que não sabe que é caçadora até quase metade do livro: Clary. XD Gostei da história, do livro, mas não sei se posso dizer que ela é minha personagem favorita. Um ponto legal é que Clary não é do tipo mocinha lesada... talvez só às vezes, mas não é irritante.
Isso é importante.


4. Um que você leu bem rápido e um que você demorou pra ler.

Um que li rápido: O Jogo do Anjo. Meus registros desse livro começaram em 12/5/15 e terminou em 5/6/15 #obrigadaSkoob. Não acho que levei só 24 dias pra ler ele, mas com certeza comi o livro no tempo de um mês! E isso quer dizer que, pelo menos em uma das minhas metas de 2015 estou sendo bem sucedida. rs #lerMais



Um que demorei: Naturalmente eu leio MUITO devagar, mas tem esse livro que tenho a impressão de que demorei tanto, mas TANTO tempo lendo... foi um livro do Dan Brown, Fortaleza Digital. Eu gosto dos livros dele, tem bastante ação, mas nesse livro em especial senti que tinha "termos técnicos" demais e por isso protelei, empurrei o livro com a barriga (porque sou do tipo que demora, mas não abandona! ><) até que finalmente eu chegasse na ação e a leitura fluísse.


5. Um livro com capa bonita e um com capa feia.
Uma coisa que você precisa saber: Eu compro livro pela capa, #MeJulgem.

Capa bonita: Feita de Fumaça e Osso. Eu me encantei pela capa e pela sinopse. Tinha todos os elementos pra me fazer amar a história (Anjos, bestas -tipo demônios-, humanos e no meio disso tudo uma história de amor que ultrapassa a morte.), mas quando li... Esse é o tipo de livro que alguns amam e outros não



Tenho dois livros com capa feia… um deles foi aquisição pra escola do meu irmão, eu acho. A capa da edição que tenho de Viagem ao Reino das Sombras é tão simples que chega a ser feia. E aqui aquele ditado "Não julgue um livro pela capa" faz todo sentido. Eu tenho uma quedinha por mitologia, então esse livro foi muito gostosinho de ler. Conta a história de amor entre Psiquê e Eros nascida da invejinha de Afrodite. <3


6. Um livro brasileiro e um internacional.
Vamos concordar que… só dá livro internacional nas nossas prateleiras? Okay que as opções nacionais estão crescendo cada vez mais… Mas a maioria dos livros vem de fora ne? Então foi meio complicado escolher o nacional, mas vamos lá!

Nacional: O Senhor da chuva. Esse livro está na minha lista de releitura porque só lembro a sensação que tive ao terminar de ler ele. Adorei ler esse livro. Acho que era por causa do protagonista que era um anjo. Li porque queria ler algo de André Vianco, mas não queria ler as sagas grandes (ficava perdida quando começavam a falar de Sétimo, Os Sete, Bento, enfim!) e o título "Senhor da Chuva" me chamou atenção. E anjos e tals... rs.



Internacional: Um romance misturado com mistério. O Segredo de Shakespeare deixa no ar uma ideia de quem foi esse autor. Como se "William Shakespeare" fosse um apelido/nome artístico?/ e a protagonista desse livro estaria buscando informações sobre quem era na verdade esse William Shakespeare. Foi o livro que me fez fazer a lista de releitura porque, como o Senhor da Chuva, eu lembro de uma sensação boa ao terminar de ler ele.


7. Um livro mais fino e um livro mais grosso.

Alice no País das Maravilhas. Daí você pensa “UAT?!” Mas sim, este livro mesmo é o mais fino que tenho. Versão “Coleção A Obra-prima de cada autor” da Martin Claret. O livro é pequeno e tem aproximadamente 150 páginas e é tipo aquelas adaptações para quem não é chegado em livros enormes e de leitura complicada.




Para o livro mais grosso... Não é o mais grosso, mas não quero repetir títulos aqui. Sendo assim, escolhi ELDEST. Livro continuação de ERAGON e não posso falar sobre ele porque ainda não li :(
O que sei é que vem mais um dragão ae... Já sobre Eragon, adorei o livro e achei linda a adaptação pro cinema, mas já não lembro o principal da história (só que um garoto pega um dragão pra criar). Esse vou ter que reler antes de pegar ELDEST.


8. Um livro de ficção e um de não ficção.
Mais um exemplo de "aqui tem mais X do que Y" =_= Mas não vamos combinar que tem mais ficção do que não-ficção, porque isso é uma questão de gosto. A verdade é que na minha prateleira ficção reina! (tem preferência mesmo!)

Ficção: Saga Artemis Fowl. Indico todos os livros de uma vez porque a história é legal! Um garoto de 12 aos 15 anos que é um gênio (cético) e resolve acreditar em fadas e no ouro no final do arco-íris. É uma "trilogia" composta por 8 livros com bastante aventuras e planos mirabolantes desse garoto gênio. O melhor nos livros é o Buttler (babá, mordomo, segurança, pau-pra-toda-obra do Artemis) mestre em todas as artes marciais e técnicas de ataque, defesa, militar, cozinha de sobrevivência ou convencional... E por aí vai XDDDDD
Deu pra perceber quem é meu favorito? rs. Mas eu realmente gosto do Artemis... também. o.o



Não-ficção: O Descobrimento do Japão pelos Portugueses 1543.
Sim! Portugal no Japão! E, olha, a história é engraçada... Sabe aquela rixa entre quem inventou o avião? Pois isso também existe nessa história de quem "descobriu"  Japão. Imagine jesuítas tentando implantar o cristianismo no Japão? Imagine cristãos praticando essa religião às escondidas? Muito babado,confusão e gritaria. rs. Ainda estou lendo esse livro e ressuscitei ele da prateleira por causa de uma série de palestras sobre a origem desse povo (o japonês).


9. Um livro meloso e um de ação.

Não tenho um livro meloso (não que eu lembre), então escolhi esse que li final do ano passado: O enigma da Adormecida, da saga Crônicas do Reino do Portal. A parte melosa fica por conta do "casal 20", Sr. perfeitinho com Sra. perfeitinha, o "Rei" e a "Adormecida" que quando acorda rola um amor à primeira vista com o rapaz que foi chamado "rei" entre o grupo de adolescentes que "caíram de para quedas" naquele mundo medieval.





Mitologia, deuses, semi-deuses, mortais, adolescentes se metendo em furada e tretas. Muitas tretas. rs. Adorei ler Percy Jackson! Ainda não li toda a saga, mas tem esses elementos que gosto numa história.


10. Um livro que te deixou feliz e um que te deixou triste.

Sabe aquele final que você sente a adrenalina do momento e então no desfecho, nas ultimas cenas você solta um "HA! ISSO!" Eu coloquei um "Toma vadia!" no final, mas Achados e Perdidos foi um livro que me trouxe alegria. O detetive Espinosa é um cara sério, correto e muitas vezes (só li 3 livros com esse personagem) acaba falhando em seus objetivos, mas nessa história ele estava acompanhado de um policial aposentado MUITO engraçado! Fala palavrão, tem umas tiradas engraçadas, adorei o Vieira!





Morte súbita foi um livro que fiquei triste ao terminar a leitura. Na verdade nem é "triste" realmente, o final me deixou com uma sensação horrível. E falei rapidamente a respeito numa pseudo-resenha aqui no blog.


E esses foram meus livros opostos!
Sei que quando me empolgo com alguma coisa acabo falando ou escrevendo demais, então se você chegou até aqui, OBRIGADA!!!! De coração!
E não deixe de compartilhar nos comentários, quais são seus livros opostos! ^___^

Bjins.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

@soratemplates